Rede Corporativa
Santos - São Paulo - Brasil, 20 de agosto de 2017.
23/06/2017
As Cidades
São Vicente


APRESENTAÇÃO

A primeira viagem importante para a história de São Vicente foi a de André Gonçalves e Américo Vespúcio, custeada pelo Tesouro Português e de caráter oficial. Esta expedição, que vem com a missão de fazer o levantamento da Costa brasileira e nomear as terras que encontram, traz o degredado judeu Bacharel Mestre Cosme Fernandes, enviado pelo Rei de Portugal - D. Manoel - para cumprir seu degredo na região onde hoje fica Cananéia.

Ao chegar à terra, conhecida pelos índios por Gohayó (terra de boa acolhida), em 22 de janeiro de 1502, Américo Vespúcio nomeia o lugar como São Vicente, em homenagem ao Santo do dia, em Portugal – São Vicente Mártir.

O Bacharel, deixado em Cananéia, veio para São Vicente em 1510, onde funda o povoado de São Vicente e monta seu estaleiro (no Japuí), para a construção de pequenos barcos. Mais tarde, com a ajuda de Gonçalo da Costa, o Bacharel constrói uma “casa de pedra” com uma torre para evitar os ataques de tribos indígenas rivais. Nessa época, o tráfico de escravos índios era praticado no povoado e liderado por Cosme Fernandes, através de seu estaleiro.

O povoado começava a desenvolver-se e constituir núcleos populacionais, criados pelo Bacharel Mestre Cosme Fernandes. Em 22 de janeiro de 1532, chegou em São Vicente Martim Afonso de Sousa, fidalgo português, enviado pelo Rei D. João III para colonizar as terras que encontrasse. Ao chegar aqui, encontrou um povoado com cerca de doze casas e coube a ele apenas, a elevação do pequeno povoado à categoria de Vila. Para isso foi preciso a instalação de uma Igreja, um Fortim, a Casa de Conselho, o Pelourinho, além da Primeira Câmara das Américas.

A partir de então, vários são os registros sobre aventureiros portugueses, espanhóis e holandeses que por aqui passaram quer seja à cata do precioso pau-brasil, ou à procura das lendárias minas de prata, ou ainda atraídos simplesmente pelo novo campo vasto e livre, onde a exploração e venda de escravos poderiam ser o início de uma nova fortuna.

Esse povoado, no entanto, não crescia sem dificuldades, pois vários desastres ocorreram. Primeiro foram os índios Tamoios, que com a chegada permanente dos estrangeiros, se mostraram hostis, e em ação exterminadora quase que dizimaram por completo o povoado. Graças à intervenção de João Ramalho e seu sogro Tibiriçá, os indígenas foram acalmados e Martim Afonso pode tratar de organizar a administração da colônia, nomeando juízes do povo, escrivães, “meirinhos” e servidores públicos, e subindo então ao planalto, conduzido por João Ramalho.

No retorno, e deixando em perfeitas condições o primeiro núcleo histórico fundado no Brasil, Martim Afonso, em 1533 regressou a Portugal, deixando em seu lugar o Pe. Gonçalo Monteiro, vigário da colônia, que era orientado por Dna. Ana Pimentel, esposa de Martim Afonso.

Passou por diversos ataques corsários e tempestades que acabaram destruíram a Vila. Com ajuda da população ela foi reconstruída, mais afastada do mar.

São Vicente, através dos séculos resistiu a todas as dificuldades que estão registradas em sua história. Hoje vemos uma cidade transformada, com seu passado identificado em monumentos, lugares históricos, além de suas belezas naturais que fazem da 1ª cidade do Brasil, o endereço certo para os turistas que aqui visitam.

www.saovicente.sp.gov.br


Atalhos da página

 
Endereço:
Av. Conselheiro Nébias, 726 - conj. 102
Boqueirão, Santos/SP - 11045-002
Tel.: 13 3232-5080
atendimento@srcvb.com.br

Horário de Funcionamento
Segunda a Sexta
Das 9h às 18h.

Rede Corporativa e-Solution Backsite